Servidores públicos e empresários de Pato Branco, Clevelândia e Saudade do Iguaçu estão sendo investigados por associação criminosa, fraude a licitações, peculato, corrupção ativa e passiva, falsidade documental e lavagem de dinheiro em uma operação deflagrada pela Polícia Civil nesta segunda-feira (18). Um vereador de Pato Branco também é suspeito de participação nos crimes.

A “Operação Hígia” cumpre 67 mandados judiciais, sendo nove de prisão temporária, quatro de afastamento temporário das funções públicas e 54 de busca e apreensão domiciliar ou empresarial, em Pato Branco, Saudade do Iguaçu, Clevelândia e Francisco Beltrão.

Cerca de 180 policiais civis, dois peritos da Polícia Científica do Paraná, dois auditores do Ministério Público e sete fiscais do Conselho Regional de Farmácia do Paraná estão participando das diligências, e contam com o apoio de 50 viaturas do Paraná e de Santa Catarina.

De acordo com a Polícia Civil, o nome da operação remete à Hígia, deusa da saúde, limpeza e sanidade na mitologia grega, já que as investigações começaram na Secretaria da Saúde de Pato Branco.

Devido à mobilização dos policiais das Delegacias de Polícia Civil de Palmas, Clevelândia, São João, Coronel Vivida, Mangueirinha e Chopinzinho para a operação, essas unidades não atenderão normalmente hoje (18). Os casos urgentes devem ser encaminhados para Pato Branco.

Fonte: Massa News